De tantos tijolos sempre cabe mais um....

e o muro vai se tornando uma montanha.

Entre a verdade inventada há um abismo de ilusão. 

 

http://www.youtube.com/watch?v=Dbh_k5GLRuQ

É lamentável como os escravos da mídia lhe obedece cegamente... Vamos, repitam comigo o repetitório! Compartilham informações preparadas para mentes obstruídas pela inércia do pensar. Estão na moda. Estão. Acham -se dotados de informações pelos detritos do lixo midiático. Cultuam o corpo e deformam suas mentes com a futilidade diária. São moldados pela mesmice e em seguida triturados pela máquina do poder... dá-lhes "TCHU" e "TCHA", pois seus cérebros já não podem mais juntar sílabas, é pesado demais!!!

Ah, os meus sonhos querem voar

para aonde você não quer mais estar.

Entre mim e você há um abismo

cavado com tua mágoa e egoísmo.

 

http://www.youtube.com/watch?v=YR5ApYxkU-U

Tão longe de mim

tão perto de ti

é a distância da ponte 

do rio que nos separa

como a noite e o dia

que se complementam, 

mas nunca se encontram.


 

 

Um raio de sol  atravessou a noite 

e o sol brilhou dentro de mim.

Em vez de noite, se fez madrugada

e onde eram trevas se fez luz.

Raro momento : uma travessia

entre o tudo e o que eu apenas  queria.

Dê- me sua mão , 

ponte estreita para o dia

O amanhecer mora ao lado: 

  no seu coração...

Dedicatória

A um grande amor que

só o tempo sabe onde guardar.

Como quem guarda um segredo

dentro do lado mais secreto de si.

Como mãe que arruma a cama

do filho que não vai mais chegar.

É assim que eu o guardo dentro de mim:

nas páginas deste livro

que se fecham em mim...

Narração

 

O dia chegara e no coração dela ainda era noite.

Lá fora a vida a esperava, talvez sem nenhuma novidade,

apenas o de sempre: algumas coisas para lembrar,

muitas pra esquecer.

Enfim a vida a esperava.

Pensamento no alto, pés no chão,

assim caminhava sem qualquer propósito

e nenhuma razão.

Como quem quisesse encontrar algo

que não se encontrasse

Rostos, vozes, buzinas, violência,

tudo numa velocidade atroz.

O caminho era a contramão: pessoas

se chocavam na mesma direção.

E ela caminhava com os pés que decolavam

rumo ao caos de seus pensamentos.

Nada parecia fazer sentido

dentro de um mundo reprimido.

Sentia-se só em meio à multidão de pessoas perdidas.

O coração acelerado pedia passagem,

respiração ofegante,

pelo cansaço que os pés já não podiam sentir.

Pensou em seguir, mas uma placa indicava um desvio.

O calor do dia transformava- se em frio,

assim como a noite morre quando nasce o dia.

Olhou pro céu e contemplou as estrelas.

Nele, havia uma que parecia brilhar mais que as outras.

Neste instante percebeu que em algum lugar,

mesmo sendo noite, havia dia.

E foi quando desejou que o céu  se unisse à Terra

e que todos os seres e  astros brilhassem juntos,

num só coração.

Só assim os dias não seriam mais noites

no coração daquela moça que não tinha razão.


Música: http://www.youtube.com/watch?v=3Qwy42fL4Xw

 

 

Sonhos perdidos


Uma rua, uma avenida, carros, pessoas, coisas...

E menos um dia ficou de tudo que se foi

Ao longe, uma canção que

me traz pra perto do coração

Sigo em frente com você na mente

Ruas, casas, carros: paisagem sem cor

Corações buscando amor

E uma lágrima é que se encontra

Em tudo que já está pronto

Em meio ao caos e a dor

Nada me alivia, apenas me distrai

Em minha volta não há você

Apenas coisas pra se ver e não ter

Sigo, apenas sigo...

Sonho  em algumas noites

Quando acordo penso que é  verdade

Mas ao abrir a janela avisto

Apenas o que me diz ser realidade

Não era o que sonhei, era o que avistei

era uma rua, uma avenida,

Carros, pessoas e coisas,

sonhos perdidos...

 

 

 

Esse seu sorriso...

 

Ah, esse sorriso,

porta aberta ao paraiso...

Nele entro e não mais saio.

Caminho sem volta pro amor,

alucinógeno,faz perder o juízo.

Ah, esse seu sorriso...

de tudo que há

é só dele que eu preciso...

 

Abre-se um vinho

Abre-se mais um caminho

e as ideias não nascem

saltam do ninho

Abre-se um porta

mas não se abre o coração

finita é a razão

diante da emoção

 

 

Disparado é o tempo

Um tempo sem rumo,

 sem prumo

Apenas um anúncio

Talvez um prenúncio

Todos estão indo

A porta semiaberta

Alguém sorrindo

Alguém se esquecendo

Alguém se perdendo

Alguém querendo

Tempo sem tempo

Tempo: senhor das razões

Dono das emoções

Dos tormentos

Dos alentos

Sem portas

Sem canto

Às vezes com encanto

E nada mais me eleva

Tudo me leva

Estou só

Estou envolta

Ora ausente

Ora presente

Estrela reluzente

Corpo presente

Porta- aviões da mente

Não há mais espera

Deixe-me ir

Por qualquer estrada

numa esfera

Tempo:  senhor de tudo

senhor do nada.

 

Música: http://www.youtube.com/watch?v=WybjHMUTFhM

Ah, se eu pudesse voar e atravessar

O mar da distância

E te encontrar do outro lado de tudo

Mas basta apenas um acorde

E outro e mais um.

Pra ter a ponte

Que me leva até você

E no embalo desses acordes

Basta eu fechar os olhos

Para que o seu céu seja o meu

E sua alegria seja a minha

E quando eu adormecer,

sei que virá me encontrar

Do outro lado da margem

Onde moram todos os desejos

E a felicidade não tem idade

Lá o frio funde-se ao calor.

E desta explosão nasce um amor

De quem um dia apenas sonhou.

E uma janela se abriu em meio ao labirinto

 

E você chegou de onde não se pode sair

 

Chegou como uma foto que é admirada

 

 Cultuada numa moldura

 

Chegou como um santo

 

 Imortalizado e admirado num altar

 

Chegou como se nunca saísse

 

De onde talvez nunca

 

Alguém foi

 

Apenas uma janela e você chegou

 

Como quem não quer ficar e fica

 

Como as ondas do mar

 

Que batem e  não voltam

 

 E se voltam, não são as mesmas

 

E assim bastou-se  vê-lo através de uma janela

 

Para que tudo que estava longe

 

Ficasse mais perto

 

Para que todos os sonhos

 

Viessem para os dias

 

E que todas as noites

 

Deixassem de sonhar

 

Com a presença dos dias

 

Prometidos...

 

Mas os dias foram apenas promessas

 

E foi assim, quando abriu-se uma janela

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Há um abismo entre o ser e o estar

Há muitas palavras dormindo no silêncio

Do ser que já não quer estar

Há um grito no NÃO  que não quer se calar

Há pedras no caminho onde o SIM vai passar

Há de se negar

Há de se calar

Ah, essa ponte que separa

As  águas desse rio imenso

Pensamentos velozes

Mas não o bastante pra sair desse chão

Busca do que não se pode encontrar

Pedidos  que ninguém pode atender

Distâncias... andanças e corre o rio,

E corre a estrada na madrugada

Mais uma vez em busca

Busca que se encontra no nada

Pensamentos, lamentos, é tudo  que se inventa

Como esse rio que sonha em ser mar

Saltando furioso na esperança

De algum dia a ponte alcançar

O pouco que se tinha perdeu-se no vento

e ele insiste como um rebento

Tremenda é sua força

Muitas as esperanças

E nenhuma chance

 

Música: http://www.youtube.com/watch?v=lSRE5XuLoXg

Tudo que parece perto

 

Este chão que piso é nuvem que flutua

Sobre mundos que podem se abrir

E dentro deles uma infinitude surgir

Apenas sigo, não tenho destino

O chão que me sustenta 

É  a busca  que me alimenta

Posso olhar pra trás

 e não ver a dor

A estrada é longa

Cada dia que chega

é outro que vai embora

tento não mais me desesperar agora

o pensamento é acelerado

as batidas do coração descompassadas

tudo está desordenado

sei que no fundo: acabado

mas hoje consigo entender

que tudo que parece perto

está longe como o deserto

 

S.A- 9-11-10

 

Música: http://www.youtube.com/watch?v=rzpW7P83sb4&feature=related

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL, Mulher, Música, Livros, Arte
MSN - ilzinhapinheiro@hotmail.com

 
Visitante número: